sexta-feira, 18 de maio de 2012

Primeiro dia no Canadá - First day on Canada

O avião decolou um pouquinho atrasado do aeroporto internacional do Rio de Janeiro às 21:15 e chegou ao aeroporto internacional de Nova York às 06:25 da manhã. Considerando-se que esse 06:25 da manhã corresponde, na verdade, a 07:25 da manhã no Brasil, dá pra perceber de que se trata de uma viagem muito cansativa, principalmente porque foi muito difícil dormir durante o voo e, diga-se de passagem, nunca consigo. Para melhorar tudo isso, some uma pitada de fila interminável para a passagem pela imigração e uma conexão de horário apertado para Toronto, tem-se ai um belo Fabinho desesperado.

Porém, ao contrário do que tudo indica, minha vontade era mesmo de ficar em Nova York. Poxa, não tem como olhar para o Empire State Building da aeronave e não querer ficar um pouquinho mais. Mesmo de longe, a "Big Apple", mais uma vez, tomou meu coração.

Enfim, com coração apertado ou não, meu objetivo era Toronto, e lá fui eu. E vim e corri e venci. Logo entrei no avião da American Eagle e já estava me despedindo da majestosa Manhattan pela janela. Um dia ainda haverei de voltar. Pode esperar! Então, mais 50 minutos de voo e eu chegaria a Toronto.

Entretanto, antes disso, foi impossível não notar a quantidade do verde que cobre o estado de Nova York. E depois dizem que já destruíram todas as florestas de lá... Pois eu fiquei encantado com tamanho tapete verdinho que eu via, via e não cansava de olhar. E só começou a se danificar, quando já estava pra chegar a Buffalo, perto da divisa com o Canadá. Adeus Empire State, foi maravilhoso rever você.

Mas o que eu não poderia esperar é que uma grande surpresa estaria por vir. O avião começou a passar por perto do Lago Erie e, a seguir, pude ver um rio tímido saindo dele e seguindo adiante, o tal do Niágara. Como ele estava muito à direita do meu campo de visão, julguei que não seria capaz de tentar avistar o espetáculo assombroso que 2 minutos depois meus olhos duvidariam acreditar que seriam testemunhas: as cataratas do Niágara.

Sinceramente, um dia lindo como hoje e aquelas quedas fantásticas, não poderiam combinar melhor. Bons presságios estavam adentrando em minha alma e a esperança de que a experiência no Canadá seria ótima já era fato em minha emoção. 

O voo continuou sereno, mas meus olhos não conseguiam desgrudar daquela janelinha. Pois é, consegui viajar no cantinho mais cobiçado da aeronave. Primeira vez! E foi maravilhoso, pois a experiência seguinte valeu tanto quanto a anterior, pois, como já estávamos perdendo altitude na preparação para a aterrissagem no aeroporto internacional de Toronto, já nos localizávamos abaixo das nuvens e o efeito que isso causou sobre a paisagem azul do rio Ontario foi simplesmente indescritível. Raios de sol perfuravam as frestas das nuvens e como se estivesse numa floresta de feixes solares, percebia-os tocando a superficie daquelas águas calmas e doces. Um efeito tão poético que nem mesmo Drummond seria capaz de escrever.

Eis que surgia então o símbolo mais marcante de Toronto da arquitetura canadense e talvez o mais  importante tambem:  CN Tower, a maior torre sem sustentação do mundo!  Linda demais!   Com o verde bordo que colore toda a cidade então, ficou majestosa.  Pousamos no Toronto Pearson, que apesar de aparentemente imenso, não provocou a tristeza das filas da imigração americana e o sentimento de não saber para onde ir.  Tudo muito bem sinalizado.   Peguei o serviço de transfer e segui para a casa da minha família anfitriã.

Passados 30 minutos e já estava lá. Não era tão distante o quanto imaginei.  Quando a porta se abriu, um sorriso amigo e a simpatia em pessoa me receberam com muito carinho, na figura da minha mãe do Canadá, Ellen, que me serviu um lanche bastante gostoso e conversou comigo durante um bom tempo sobre diversos assuntos.   Sabe aquela pessoa tão amável que você conversa por horas e nem percebe o tempo passar? Pois é, foi assim. Em seguida, conheci o meu quarto, arrumei ligeiramente as coisas e parti para a minha primeira aventura na cidade mais cosmopolita da Terra. 

A estação do metrô, Keele Station, não fica distante da casa super aconchegante onde me hospedei. 20 minutos depois, finalmente cheguei à estação mais próxima da escola, mas como sou muito atrapalhado, sempre pego a direção oposta à que realmente deveria tomar e logo fui parar no número 600, ao passo que deveria estar no 920.  Percebida a mancada, o enroladinho aqui deu meia volta e foi curtindo o ar da cidade até chegar ao prédio da ILAC (International Language Academy of Canada).  Até lá, muita coisa diferente pelo caminho. Tulipas amarelas, roxas, multicoloridas e pessoas de diferentes estilos, também vestindo muitas cores que jamais sonharia em ver numa pessoa em pleno Rio de Janeiro.  E mais um pouquinho Toronto ganhou meu coração.

Encontrei a escola. Conversei com a moça da recepção. Pedi algumas informações e parti para a nova aventura.  Botei as canelinhas pra funcionar!  E lá estava eu passando pela igreja e andando por toda a rua.  Caminhei por um grande trecho, observando pessoas, estilos, construções, flores, temperatura, bichos e tudo aquilo que poderia acrescentar à confecção da imagem que eu faria da cidade.

Ao chegar na Dundas Street, segui rumo à Yonge St e sabia que logo chegaria ao ponto de referência da cidade: o shopping Eaton Centre.  Lá, como todo bom brasileiro que viaja ao exterior, logo dei um jeitinho de procurar a loja da Apple.  Depois de muito conversar com o vendedor, resolvi fazer uma experiência de duas semanas com o famoso iPad 3 e, caso não gostar, poderei pegar meu dinheiro de volta.  Será que vai rolar?   Até o momento da edição deste texto, estou bem satisfeito com a aquisição, apesar de ainda estar enrolado com a colocação dos acentos.

Depois dos rodeios na loja da maçãzinha que faz mágica no coração da gente, voltei pra casa e você não vai acreditar no que estava esperando por mim.  Olha, para um primeiro dia desses, um banquete de comida japonesa não era o que eu poderia sonhar.   Não preciso nem dizer que fiquei mais feliz do que formiguinha dentro do pote de açúcar, né!

Enfim pessoal, foi um dia muito feliz pra mim e espero que vocês possam ter sentido um pouquinho de toda essa alegria aí dentro tambem.  Amanhã contarei mais histórias. Perdoem-me pela ausência de fotos, mas tive um probleminha técnico aqui.  Vontade de posta-las nao faltou.  Ja tenho inúmeras.

 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

I can't translate it today dear friends. I'll try it another day. I'm sorry.

13 comentários:

  1. Adorei ! Deu pra visualizar tudo... Fiquei muito feliz em saber q esta correndo tudo super bem! bjssss

    ResponderExcluir
  2. Adorei ! Deu pra visualizar tudo... Fiquei muito feliz em saber q esta correndo tudo super bem! bjssss

    ResponderExcluir
  3. Adorei ! Deu pra visualizar tudo... Fiquei muito feliz em saber q esta correndo tudo super bem! bjssss

    ResponderExcluir
  4. Que ótimo, Fábio, saber que chegou bem e está feliz. Achei seu texto muito poético pelas maravilhas que presenciou. Ah, não poderia deixar de ser... Diga à Ellen que todas as mães do mundo são semelhantes em dedicação. E eu já estou amando conhecê-la pelas postagens. Espero poder falar pelo Skype com vocês como aconteceu na viagem de Londres. Nem que seja um "hi". Estou muito feliz e emocionada. Será excelente a sua permanência aí em Toronto por esse tempo.
    Saudades rolam...

    Beijos!

    @soniasalim

    ResponderExcluir
  5. Fábio,

    Você conseguiu me emocionar de verdade, olha, descobrimos outro escritor na família! Você escreve tão bem quanto meu pai, preste atenção, isso é um dom, não desperdice!
    A maneira como você trouxe os cenários e a emoção em cada frase são impressionantes pra mim que te acompanho desde a gestação e não havia prestado atenção nisto!
    Irmão, no final do seu texto fiquei tão emocionado que não consegui terminar de ler, a Nat terminou pra mim. Sabe, tudo que passamos juntos nesta jornada da vida até aqui, ver você conhecendo outros países, se divertindo, se realizando, isto me toca o coração, pois por muito tempo não esperávamos que isto seria possivel um dia!
    Parabéns irmão, aproveite a viagem, ainda tem muita coisa pela frente e eu estarei aqui acompanhando cada passo teu! Que Deus te abençõe e te guarde em nome de Jesus!

    Um abraço,

    Roberto.

    ResponderExcluir
  6. Tudo muito emocionante mesmo... \o/

    ResponderExcluir
  7. Que legal, Fito!!! Como descreveu tudo minuciosamente, deu pra imaginar e sentir que pegamos carona com você!!! rsss Divirta-se e até o próximo post!!! Bjs

    ResponderExcluir
  8. Adriana Oliveira19 de maio de 2012 11:02

    Fábio! Você escreve muito bem!!! Deu para visualizar bem o que você viveu neste primeiro dia. Estou aqui acompanhando cada passo seu e torcendo que seja tudo ótimo e muito mais. Vou viajando aqui através de suas linhas. Te amo, primo querido!!! Beijos em sua família canadense por mim.

    ResponderExcluir
  9. Vibrando por vc!O Roberto esta certo,vc tem um jeito maravilhosos de escrever muito parecido com o do seu pai.Pude perceber a sua capacidade de descrever detalhadamente cada momento com se os tivesse vivendo bem devagarinho.Grande bjo de sua tia que te ama,Tyda.

    ResponderExcluir
  10. Oi Fabinho!!!
    Adorei o seu texto! Vc escreve tão bem!
    Aproveite muuuuuuuuuuito a sua viagem!
    Vou te acompanhar tds os dias!
    Graaaaaaaaande beijo!

    Jac

    ResponderExcluir
  11. Dear Fabinho,
    I'm so glad you had such a nice first inpression of Canada. I believe you will be really at ease with your Canadian family, from this first meals, rsrsrs. I'll be following you wherever you go now. Pls, keep us updated weith your adventures. Bjks,
    C
    Carla

    ResponderExcluir
  12. Oi, cunhado!!
    Muito bom saber que vc chegou bem e que tá super feliz. Seu texto conseguiu retratar muito bem essa felicidade..é incrível como vc descreveu tudo com tanta clareza e materialidade. Eu conseguia praticamente ver o que vc estava descrevendo.. Essa sua ideia do blog foi realmente muito legal; assim podemos acompanhar as suas aventuras com uma maior proximidade. Traz a sensação de que vc não está tão distante.. É isso aí, cunhado, aproveite bastante, curta cada momento, pq vc merece!
    Eu e o Robertinho estamos sempre por aqui, acompanhando tudo!
    Grande beijo!

    ResponderExcluir